Processos seletivos: Você sabe escolher seus parceiros de negócio?



Processos seletivos: Você sabe escolher seus parceiros de negócio?

parceria

Toda crise é uma oportunidade, verdade? Produzi este artigo com base nas minhas reflexões…

Quando falamos em processos seletivos logo vem à mente uma fila de candidatos a emprego, uma pilha imensa de currículos, ou para os mais conectados, uma caixa de mensagens lotada. Nestes casos, normalmente, o recrutador está preparado e sabe de antemão as atividades que o novo colaborador deverá executar, qual o perfil comportamental adequado ao cargo e à equipe.

Durante a entrevista são explorados os conhecimentos, os valores e até mesmo as prováveis respostas às situações quotidianas podem ser previstas, utilizando técnicas de entrevista comportamental. Há recursos para um processo bem estruturado e eficaz, basta usá-los.

E na hora de escolher parceiros de negócios, você sabe escolher? Utiliza seus conhecimentos ou deixa a empolgação tomar conta?

Muitas parcerias surgem em eventos, treinamentos e no calor da emoção algumas decisões podem custar caro e gerar muito, mas muito, estresse.

Minha contribuição com este artigo é alertar, para que você tenha em mente que escolher parceiros é tão importante, talvez até mais arriscado, do que escolher funcionários. Visto que, ‘demitir’ um parceiro ou sócio, pode não ser tão simples quanto a demissão de um empregado, que não desempenha suas funções com agilidade, empenho e qualidade. Naqueles casos, geralmente há contratos, formais ou tácitos, mas ainda assim, existem direitos e deveres envolvidos, questões jurídicas até. Mas meu foco é evitar que se chegue a este nível de preocupação.

Já vi muitas situações, e também senti na pele, o quanto é desagradável e constrangedor perceber que fizemos uma escolha baseada em sentimentos. Às vezes a intenção é ajudar outra pessoa, em outras, há vínculos familiares, fato é que se não tomarmos as devidas precauções, esta relação tem chance de transformar-se em uma grande dor de cabeça.

Então, quais os passos? Como evitar as escolhas erradas?

Pense em que tipo de pessoa você é.

“No que acredita sobre a vida? Quais são os seus valores, aquilo que é fundamental e o que pode tolerar?

Como você se comporta? É mais falante ou gosta de momentos de introspecção, gosta de pessoas parecidas com seu estilo ou prefere conviver com pessoas diferentes dele?

Toma suas decisões sozinho, prefere que decidam por você, ou gosta de compartilhar e definir em conjunto, através de trocas e consenso?

O que realmente espera do outro e o que está disposto a dar em troca?”

Estas reflexões irão auxiliar a identificar o seu perfil comportamental e também com que tipo de perfil você convive melhor. Claro que somos seres surpreendentes e não podemos rotular, julgar as pessoas. Mas ficar atento aos sinais, e chamar a razão para tomar certas decisões pode evitar muitos conflitos e perdas financeiras.

Pense nisto!

Comente e compartilhe tuas experiências comigo, ficarei feliz.

Jaqueline Selva, Coach de Carreira e Formadora de Analistas Comportamentais

Para saber mais sobre Perfil Comportamental, clique aqui!